Gestão de negócios internacionais: 5 principais regras para exportação

Praticar a gestão de negócios internacionais não é uma tarefa fácil. Afinal, realizar esse processo em outras nações traz uma série de dificuldades para as empresas. Contudo, essa possibilidade conta com uma série de vantagens que podem ajudar sua companhia a alavancar os rendimentos financeiros. 

Leia mais: Como o plano de internacionalização facilita a expansão para outros países

Diversos estudos recentes evidenciam os pontos positivos de exportar. Uma dessas pesquisas, realizada pela Apex-Brasil, apontou que 77,7% dos administradores apontaram que o aumento das vendas era o fator que mais os levava a exportar.

Além disso, 67% dos respondentes identificaram que outro motivo para essa estratégia era proteger o negócio da volatilidade do mercado doméstico, uma vez que variações climáticas, por exemplo, podem reduzir drasticamente o consumo dos itens em determinados momentos.

Para auxiliar as companhias que buscam ter sucesso na gestão de negócios internacionais, selecionamos os principais modelos de relações focadas em acordos comerciais no exterior. Confira:

Conheça as principais opções de negócios no exterior

  • Joint Venture: consiste na união de organizações para a realização de um determinado empreendimento, como um novo produto. As duas dividem as responsabilidades quanto a operação e os lucros;
  • Subsidiária: este modo conta com a criação de uma filial no novo país controlada inteiramente pela matriz;
  • Licenciamento: aparece quando uma organização permite a outra o uso dos seus direitos de marca e das técnicas de fabricação, recebendo em troca uma compensação financeira;
  • Franquia: alternativa que, em linhas gerais, funciona como um licenciamento no qual há maior suporte para os franqueados, com um acompanhamento das atividades;
  • Exportação: seja direta ou indireta, essa possibilidade é considerada simples e com grande potencial de lucro. Em suma, atua com a venda dos produtos de um país para outro.

Veja 5 regras para a exportação e tenha sucesso na gestão de negócios internacionais 

A exportação traz uma série de benefícios para as companhias. Porém, é preciso se preocupar em seguir determinados comportamentos e regras para alcançar os objetivos esperados na gestão de negócios internacionais. Confira 5 exemplos:

Adequação ao mercado-alvo

Cada localidade tem suas particularidades, que podem interferir diretamente na elaboração de um produto. Somente seguindo essas especificidades é possível chegar aos resultados almejados.

Essa adaptação pode ser a diminuição ou o aumento da quantidadedo produto apresentado, bem como a adição ou retirada dos componentes utilizados na produção.

Como exemplo, pode-se citar cafeterias de outros países que vieram ao Brasil e precisaram disponibilizar opções cafés, além de adicionar alimentos nacionais como o brigadeiro e o pão de queijo.

Ajuste nas embalagens

Toda a questão visual de uma marca necessita ser considerada e, muitas vezes, reformulada para atingir maior êxito em outras nações.

Nesse sentido, fatores como o valor estético do design precisam ser considerados, pois influencia diretamente nas vendas

Além disso, é indispensável realizar os ajustes precisos para garantir a conformidade com as normais internacionais, dispondo de rótulos com informações sobre o manuseio ou características daquela mercadoria. 

Sondagem de taxas e tributos

A realização de vendas no exterior está sujeita a cobrança de impostos tanto no país de origem e quanto no de destino

Por conta disso, os gestores devem se preparar para não sofrerem impacto profundo em suas margens de lucros e, ao mesmo tempo, seguir os regulamentos internacionais. Desta maneira, é indispensável dispor de contato com contadores e advogados preparados para ter sucesso no compliance.

Tenha a documentação em dia

Possuir todos os documentos pedidos é essencial para realizar os procedimentos de exportação. Entre os registros mais importantes se encontram:

  • Fatura Proforma: emitida no início das negociações pelo exportador após pedido do importador. Indispensável a confecção em papel timbrado e escrita no idioma do país de destino;
  • Romaneio: produzido pela companhia no ato de exportação. Sua funcionalidade é listar o nome de todos os itens presentes em uma mesma embalagem para orientar quem recebe os produtos;
  • Conhecimento de Embarque Marítimo: também chamado de Bill of Lading, é expedido pela companhia de transporte e contém dados como embarcador, consignatário, quantidade de mercadorias, locais de embarque e desembarque, etc;
  • Certificado de Origem: providenciado pela instituição exportadora para comprovar a proveniência dos objetos produzidos. Esse procedimento permite a redução ou isenção de tarifas.

Registro de atuação

É primordial que as corporações realizem o registro RADAR (Sistema Ambiente de Registro e Rastreamento da Atuação dos Intervenientes Aduaneiros).

Esse mecanismo é obrigatório e funciona como meio de armazenar todos as informações referentes a venda internacional. Esse registro garante a regularidade da empresa em conjunto com a Receita Federal.

Tenha acesso aos serviços de um sistema ERP qualificado

Para assegurar resultados positivos em toda a gestão de negócios internacionais, é preciso ter acesso às melhores tecnologias. O SAP Business One, disponibilizado pela be one solutions, é uma opção segura e eficiente.

O SAP Business One apresenta uma plataforma simples e de fácil utilização. Por emitir relatórios completos sobre todas as atividades, o sistema permite tomadas de decisões certeiras.

Quer saber mais? Entre em contato e tire suas dúvidas!